Escrito em por
Ações.

O Instituto de Pesquisa de Cetáceos suspende temporada de caça as baleias

caca-as-baleias-sea-shepherd-ipc-japao-nisshin-maru

O pedido veio após o ataque furioso e descontrolado do navio-fábrica de 8.000 toneladas, Nisshin Maru, que atacou quatro vezes os navios da Sea Shepherd Conservation Society.

Segundo o Capitão Paul Watson, tudo começou quando o Sun Laurel entrou na zona do Tratado da Antártida com uma carga de óleo combustível pesado (HFO) para reabastecer o Nisshin Maru. É ilegal trazer HFOs nas águas protegidas da Antártida e também ilegal a transferência de óleo combustível pesado para outro navio.

A operação de reabastecimento foi planejada para acontecer ontem, mas os três navios da Sea Shepherd, o Sam Simon, o Bob Barker e o Steve Irwin, tinham assumido posições em torno do Sun Laurel para bloquear qualquer abordagem por parte do Nisshin Maru.

Aproximadamente 8 horas depois de todo esse impasse, onde o Nisshin Maru insistiu em abastecer ilegalmente, ele então se aproximou da popa do Sun Laurel, enquanto os três navios arpoadores japoneses começaram a circular, atirando com seus canhões de água em direção aos navios da Sea Shepherd. Eles se juntaram a um quarto navio japonês, o Shonan Maru 2, seu navio de segurança armada, o mesmo navio que bateu e destruiu o Ady Gil em 2010.

caca-as-baleias-sea-shepherd-ipc-japao-nisshin-maru-whales

O Nisshin Maru foi então se aproximando dos navios Shepherds, intimidando-os, elevando seu navio dez vezes maior para cima deles. Em meio a isso o próprio contramestre do navio-carga Sun Laurel contratado pelos japoneses advertiu os baleeiros sobre o perigo do que faziam, mas o sentimento de fúria pela intervenção dos ambientalistas e pelo fracasso dessa temporada de caça fez com que os japoneses atacassem seu imenso navio primeiramente no Steve Irwin e acertando até mesmo o próprio Sun Laurel.

Enquanto isso, a tripulação da Sea Shepherd sofriam com ataques de granadas de concussão e com canhões de água, em uma tentativa de cortar o outro navio Shepherd, Bob Barker, que estava ao redor tentando intervir para que uma tragédia não acontecesse, o Nisshin Maru atingiu a popa do petroleiro Sun Laurel, eles acertaram quatro vezes um navio de carga em águas hostis, navio que só estava a trabalho, esmagaram um balsa salva-vidas, danificaram o guindaste de lançamento e causaram danos na superestrutura do casco do Sun Laurel.

Logo depois, os baleeiros japoneses tentaram inundar as portas do motor principal do Bob Barker, eles derrubaram o mastro à popa, destruiram o radar esmagando a iluminação. O deck foi amarrado e o heliporto retorcido enquanto os engenheiros do Bob Barker relataram água caindo na sala do motor.

De repente, o Bob Barker perdeu toda a potência. O capitão Peter Hammaerstedt da Suécia, 28, podia ouvir o metal rasgando no convés de sua ponte de comando quando o mastro da popa foi derrubado e o navio começou a pesar para trás.

caca-as-baleias-peter-hammaerstedt-sueco-ativista-sea-shepherd

O Nisshin Maru só recuou quando ouviu o pedido de socorro e a tripulação do Bob Barker começou imediatamente a controlar e reparar os danos. O fluxo de água foi interrompida em cerca de 15 minutos e os engenheiros recuperaram a potência em meia hora, dando ao navio a capacidade de navegar. O radar e os faróis de estibordo foram destruídos.

“Esta foi a manobra mais irresponsável que eu já vi. Eles estão sendo agressivamente imprudentes e estão agindo como não houvesse consequências para suas ações,” disse a tripulante do Steve Irwin, Sonia Hyppänen da Finlândia, 29.

“É como se eles estivessem declarando a soberania sobre as nossas águas territoriais”, disse a contra-mestre do Steve Irwin Elissa Sursara, 25, da Gold Coast de Queensland.

Alguns tripulantes do Bob Barker jogaram seis camisas da Sea Shepherd para a tripulação do Sun Laurel e aplaudiram quando a tripulação filipina demonstrou apoio a Sea Shepherd, a equipe do navio-carga tem muitos marinheiros jovens e assustados, que não sabiam que eles estavam indo para a Antártica e não queriam fazer parte da frota baleeira japonesa.

Todos os três navios da Sea Shepherd mantiveram suas posições e o reabastecimento ilegal do Nisshin Maru foi impedido.

A noite chegou ao fim com o Sun Laurel navegando para o norte, longe do Nisshin Maru com o navio da Sea Shepherd Sam Simon escoltando-os até estarem em segurança.

O Bob Barker e o Steve Irwin continuam a seguir a popa do Nisshin Maru enquanto ele se dirige para oeste. Todos os navios arpoadores e o navio de segurança, Shonan Maru N º 2, espalharam-se e toda a frota baleeira parece estar em completa desordem.

A melhor notícia veio com o anúncio de que o Instituto de Pesquisa de Cetáceos pediu a suspensão temporária de todas as operações baleeiras.

Na sequência desses acontecimentos na Antártida e devido à impossibilidade da frota baleeira reabastecer combustível através das obstruções da Sea Shepherd, o ICR (Instituto de Pesquisa sobre Cetáceos), responsável pela frota “científica” baleeira, vem anunciar o término da atividade baleeira no Santuário Antártico” – Cap. Paul Watson

Confira na íntegra a nota do Capitão Paul Watson sobre o ataque do navio fábrica Nisshin Maru!

Assista aqui o vídeo do ataque:

ATENÇÃO !

caca-as-baleias-sea-shepherd-paul-watson-whales-free

• Ajude a Sea Shepherd atendendo ao pedido do Capitão Paul Watson (assista aqui) evitando sua extradição e prisão, além de pedir ao Presidente Obama para tomar medidas acertivas para impedir a caça de baleias, respectivamente aqui e aqui.

Deixe uma resposta