Escrito em por
Ações.

capitao-paul-watson-o-heroi-dos-oceanos-paul-watson-no-sea-shepherd

Tudo começou após o jovem garoto de 9 anos perder um de seus castores, então Watson anunciou que confiscaria e destruiria armadilhas do tipo leghold, ele atrapalhou também a vida de caçadores, evitando que atirassem em animais.

Watson foi um dos co-fundadores da Fundação Greenpeace. Em outubro de 1969, seu envolvimento começou quando ajudou a organizar uma viagem pela costa canadense e americana para protestar contra os testes nucleares feitos pela Comissão de Energia Atômica na ilha Amchitka.

Watson foi um dos membros fundadores e diretores do Greenpeace. De fato, ele foi oficialmente o oitavo membro fundador. Robert Hunter foi o primeiro e seu numero de inscrição vitalício foi 000. Sua esposa, Roberta Hunter foi a segunda e sua inscrição era 001. O número de inscrição oficial de Watson era e continua a ser 007.

Em 1974, Watson, Robert Hunter, o Dr. Paul Spong, e outros, organizaram a primeira campanha do Greenpeace em oposição à caça as baleias.

Em 1975, Watson seguiu uma viagem junto com o Capitão John Cormack para enfrentar a frota baleeira soviética, eles foram as primeiras pessoas a colocar suas vidas na linha para proteger as baleias, Watson colocou seu inflável Zodiac entre um navio-baleeiro russo e um grupo de baleias cachalotes indefesas, um arpão foi lançado e acertou uma baleia que estava na direção do pequeno barco de Watson, durante os ultimos instantes Watson ficou “cara-a-cara”, “olho-a-olho” com a baleia.

“Ela podia ter nos matado, mas de certa forma sabia que estávamos ao seu lado”, diz.

“Vi que a baleia fez uma escolha de não nos matar e isso fez toda a diferença na minha vida.”

Em 1977, Watson rompeu com o Greenpeace, que ajudara a fundar, alegando que ele se tornara “burocrático”. Criou a Sea Shepherd, ONG que faz uma espécie de guerrilha no combate a baleeiros, usando ação direta, mas sempre prezando pela vida dos animais, de seus tripulantes e até dos seus adversários.

Deixe uma resposta