Escrito em por
Ações, Taiji.

Protesto ocorreu no mundo todo e no Japão não foi diferente

Um dia antes de começar a caça de golfinhos e baleias de pequeno porte em Taiji, ocorreu mais um protesto pelos direitos desses animais, a ação foi organizada por ativistas japoneses.

O Dolphins Day aconteceu em diversos países do mundo todo, no Brasil, na Argentina, Chile, Colombia, Austrália, Alemanha, Israel, Estados Unidos, México, Japão, entre outros.

No centro das ruas de Tóquio, no Japão, cerca de 65 pessoas se reuniram para caminhar na cidade pelos golfinhos.

A ação chamou atenção pelas ruas de Tóquio, com todos os cartazes levantados, balões de golfinhos, instrumentos musicais, e um ativista corajoso que vestiu sua fantasia de orca em meio ao calor extremo do Japão.

ativista-fantasia-baleia-direitos-animais-japão

A maioria dos presentes eram japoneses, diferente do que muitos pensam, não só de pescadores e nacionalistas vive o Japão, ativistas dos direitos animais também se fazem presentes aqui, o que acontece é que apenas se é divulgado as coisas ruins do país, coisas boas geralmente são deixadas de lado, eis a importância de mídias alternativas na divulgação de conteúdos como esse, o movimento tem crescido no Japão e cada dia ganha mais força.

Infelizmente, mais uma vez contamos com a presença dos nacionalistas, assim como no ano passado eles falavam palavras contra os ativistas, e falavam para a Sea Shepherd ir embora do Japão (detalhe que ninguém vestia a camiseta da ONG), gritando ao ponto de algumas vezes atrapalhar a concentração dos ativistas japoneses, outras vezes tentando agredi-los, e que graças ao apoio da polícia nipônica, que caminhou junto com os ativistas japoneses, nada aconteceu.

O protesto em si consistiu em conscientizar as pessoas sobre o que acontece no vilarejo de Taiji, muitas pessoas ficaram surpresas ao descobrir o que acontecia, boquiabertas ao saber que milhares de golfinhos são mortos todos os anos, e que isso é totalmente relacionado aos aquários, pois se não houvesse animais em cativeiro para serem explorados pela indústria do entretenimento, essa matança também não aconteceria.

Brasileira com descendência nipônica, atualmente moro no Japão, vegetariana desde 2005, adoro viajar, conhecer lugares, pessoas e culturas diferentes, sou aspirante a mochileira e a fotografia, vegana há pouco mais de 2 anos, ativista pelos direitos animais e colaboradora do Portal no Japão.

Saiba mais: http://bit.ly/DaniYjichi

Deixe uma resposta