Escrito em por
Ecologia, Veganismo.

Os recifes de corais do Caribe correm o risco de sumir do mapa!

recife-dos-corais-no-caribe-a-extincao-de-um-ecossistema

Esse maravilhoso mundo aquático e um dos mais belos ecossistemas do planeta está mais ameaçado do que nunca, eles compõem um dos ecossistemas mais coloridos e produtivos do mundo e infelizmente estão à beira do colapso, com menos de 10% da área do recife com corais vivos.

recife-dos-corais-no-caribe-a-extincao-um-ecossistema

Os conservacionistas advertiram que a perda drástica foi o resultado de graves problemas ambientais, incluindo as megas-explorações, poluição de fontes agrícolas e outros fatores, e é claro as questões climáticas (ou carnáticas, caso o queira).

recife-dos-corais-no-caribe-a-extincao-do-ecossistema-marinho

O declínio dos recifes foi rápido: em 1970, um estudo mostrou que cerca de 50% dos corais estavam vivos, em comparação com os 8% no levantamento recém-concluído. Os cientistas que o executaram advertiram que não havia nenhum sinal de desaceleração da taxa de morte.

Esses dados nos indica que 92% dos corais já estão mortos e ficam infelizmente nestas situações:

recife-dos-corais-no-caribe-a-extincao-de-um-ecossistema-consumo-peixe

O recife dos corais são um importante ecossistema marinho, pois atuam como viveiros para peixes mais jovens, proporcionando fontes de alimento e proteção contra predadores até que os peixes tenham crescido suficientemente para se defenderem sozinho, eles também são importantes para o turismo e o lazer.

recife-dos-corais-no-caribe-a-extincao-de-um-ecossistema-marinho

Carl Gustaf Lundin, Diretor Global do Programa Marinho da International Union for Conservation of Nature (IUCN), que publicou a pesquisa disse: “As principais causas de queda de corais são bem conhecidas e incluem pesca, a poluição, e branqueamento causada pelo aumento das temperaturas resultantes da queima de combustíveis fósseis“.

Advertências sobre o mau estado dos recifes de coral do mundo se tornaram mais frequentes nas últimas décadas com a poluição aumentando a pressão sobre as populações de peixes, e os efeitos do aquecimento global sobre o meio ambiente marinho – na forma de temperatura dos oceanos e níveis ligeiramente elevados de acidez nos oceanos.

O relatório (em inglês) – elaborado por 36 cientistas de 18 países – foi o trabalho da IUCN – Coordenadora da Rede Global de Monitoramento do Recife.

Ambientalista, adepta da alimentação sem carne, simpatizante dos direitos animais e agora blogueira!

Facebook Twitter 

Deixe uma resposta