Escrito em por
Notícias.

Os organizadores da Festa do Peão de Barretos – que acontece entre os dias 16 e 26 de agosto – suspenderam a realização do “bulldog” das competições de rodeio deste ano. A decisão, confirmada nesta quarta-feira (15) pelo presidente do evento, Hugo Resende Filho, acontece um ano após um bezerro ser sacrificado depois da prova em Barretos. O animal teve o pescoço torcido pelo peão e sofreu lesão em uma vértebra cervical.

No bulldog, o bezerro é solto na arena e corre em disparada, seguido por dois peões a cavalo. Um dos competidores deve derrubar e imobilizar o animal apenas com a força dos braços.

O veterinário Orivaldo Tenório de Vasconcelos, coordenador do Centro de Estudos de Comportamento Animal (Ecoa), entidade mantida pelo grupo Os Independentes, que promove o evento, afirmou que a prova coloca os animais em risco porque o competidor deve apenas flexionar o pescoço. “Se o bezerro deitar para o lado direito e o peão torcer para o lado contrário, como aconteceu no ano passado, pode ferir o animal. Não foi culpa da prova, foi culpa do praticante”, disse.

Proteção Animal
Para o diretor do Projeto Esperança Animal (PEA), Carlos Rosolen, a suspensão da prova já era esperada por causa da repercussão na mídia e nas redes sociais. Ele afirmou, porém, que a medida é insuficiente. “Se a lei fosse bem aplicada, todas as provas deveriam ser canceladas. O judiciário está tampando os olhos para a Lei de Crimes Ambientais. Existem muitos laudos que comprovam os maus-tratos em todas as modalidades”.

Rosolen disse que voluntários do PEA estarão em Barretos nos onze dias da Festa do Peão para registrar imagens do rodeio. “Eles sempre alegam que as imagens usadas por nós são de rodeios no exterior. Nosso banco de dados comprova que isso acontece aqui”, disse.

Outro lado
O coordenador do Ecoa disse que os organizadores utilizam todas as técnicas disponíveis para garantir o bem-estar e a segurança tanto dos animais quanto dos peões (percebemos isso ano passado). Vasconcelos afirmou ainda que as entidades de proteção animal podem participar da preparação das provas e acompanhar as montarias de rodeio. “Sempre pregamos que as portas de Barretos estão abertas para todo mundo. Os Independentes, inclusive, mandam convites formais para as ONGs. Não há o que esconder.”

Fonte: G1

Ambientalista, adepta da alimentação sem carne, simpatizante dos direitos animais e agora blogueira!

Facebook Twitter 

Deixe uma resposta