Escrito em por
Notícias.

O Capitão Watson permanece sob custódia das autoridades alemães nesta segunda, 14 de maio. Um juíz alemão da corte de Frankfurt se recusa a libertá-lo, ao invés disto alega que a corte alemã gostaria de confirmar que a Costa Rica quer a extradição para seu país.

Os conselheiros legais alemães representando Paul Watson são: Oliver Wallasch e Alexander Gruner. Colaboradores da Sea Shepherd continuam correndo contra o tempo na Europa e América Latina para determinar as verdadeiras razões por trás do mandado.

O mandado para a prisão do Capitão Paul Watson foi emitido na Costa Rica em outubro de 2011, curiosamente, quando o Instituto de Pesquisa de Cetáceos arquivou seu processo civil contra a Sea Shepherd Conservation Society nos Estados Unidos. A pergunta permanece: o que fez a Costa Rica emitir um mandado de prisão para o Capitão Paul Watson em outubro de 2011?

A INTERPOL publicou uma nota em seu website dizendo que não emitirão um alerta vermelho de busca e apreensão ao Capitão Watson, porque seu escritório de processos jurídicos não está satisfeito com o pedido da Costa Rica, e que o mesmo não está em conformidade com as constituições e regras da INTERPOL. Esperançosamente, as cortes alemãs chegarão a mesma conclusão e libertarão o Capitão Watson.

Enquanto a Sea Shepherd se torna cada vez mais eficaz em proteger globalmente animais selvagens marinhos, os inimigos dos oceanos estão usando todos seus recursos para parar-nos. Atualmente, a Sea Shepherd está sob o ataque legal de todas as partes do globo, e cada caso representa a biodiversidade que nós nos esforçamos para proteger. No Reino Unido, a Sea Shepherd está atualmente respondendo um processo proposto pelos agentes de pescado Fish & Fish, a respeito do atum-azul. Nos Estados Unidos, nós respondemos um processo civil proposto pelo Instituto de Pesquisa de Cetáceos a respeito das atividades anti-baleeiras no Oceano Antártico, e agora, com a detenção do Capitão Watson na Alemanha (através da autorização de apreensão da Costa Rica), nós acreditamos na vitória para a Sea Shepherd contra o finning nos mares.

Não importa o país nem o sistema jurídico, o Capitão Paul Watson não se intimidará e não irá parar até que a vida marinha e os ecossistemas tenham a proteção que merecem.

Fonte: Sea Shepherd Brasil

Ambientalista, adepta da alimentação sem carne, simpatizante dos direitos animais e agora blogueira!

Facebook Twitter 

Deixe uma resposta