Escrito em por
Instituto Royal, Notícias.

Fazenda além de vender animais ainda fabricava as jaulas

Após vistoriar o Instituto Royal, receber visitas de Deputados Federais em seu gabinete e ser pressionado por toda população, o prefeito de São Roque, Daniel de Oliveira Costa, suspendeu nesta sexta-feira (25), por 60 dias o alvará de funcionamento do Instituto Royal.

O próprio Instituto firmou um acordo para suspender suas atividades para apuração das denúncias de maus tratos dos animais.

fazenda-angolana-instituto-royal-são-roque

Segundo consta uma relação do Instituto Royal, um dos fornecedores de cães da raça beagle era a Fazenda Angolana, também localizada em São Roque, que havia anteriormente negado relação com o Laboratório. No documento encontrado mostra que além da Fazenda Angolana, o Instituto tinha muitos outros fornecedores.

A Fazenda Angolana por si só, independente da questão do fornecimento de vidas para o Laboratório, é repudiada pelos ativistas de Direitos Animais, devido ao fato de que o local comercializa diversos animais, fabrica e vende jaulas de animais, incentiva a pesca (caça) de animais no local.

fazenda-angola-vende-animais-pecuária-matadouro-laboratório-são-roque

Além de praticar a venda de animais como se fossem objetos de supermercado, ter alguns animais modificados geneticamente como os chamado “mini” animais, incentivar uma cultura especista na teoria e na prática, o local ainda fornece o consumo de animais em seu restaurante, com pratos de carne de vaca, boi, galinha e até mesmo carne de coelho.

“Estar posicionado numa área de excelente atrativo para o nicho de mercado de “outras carnes” é o que motiva seu Ludwig. São Roque, por exemplo, é também o território da alcachofra e do vinho, consequentemente, a culinária por lá aceita, e muito bem, a carne de coelho. Este fato é o que, de certa forma, propicia o desenvolvimento da cunicultura na região. Para se ter uma ideia, o matadouro mais próximo, em Salto de Pirapora (SP), fica cerca de 60 quilômetros da fazenda. A Fazenda Angolana, inclusive, é a única de todo o País que está autorizada a exportar o produto – operação que realmente não ocorre pelo fato da demanda local literalmente engolir toda a produção”, segundo informações da Revista Rural Nº 166 (Dezembro de 2011).

fazenda-angolana-jaulas-laboratórios-beagles-aves-gaiolasEstamos diante de um dos principais criadores de coelhos do Brasil, que além de uma alta “produção” a custas da exploração dos animais, ainda é um grande propagador da ideia de criar esses animais para consumo.

Nós conseguimos ter acesso ao valor de alguns dos animais, mas não vamos divulgar, pois senão algumas pessoas ainda vão usar essa informação para realizar uma compra de um ser senciente, infelizmente, o criadouro da Fazenda Angolana aumentou suas vendas após o caso do Instituto Royal, onde pessoas que desconhecem a existência de animais para adoção em ONGs ou animais na rua, entraram em contato com o local interessados em comprar beagles.

Confirme algumas dessas informações no próprio site da fazenda-criadouro-matadouro: Angolana.

Deixe uma resposta