Escrito em por
Notícias.


Warning: Undefined array key "use_custom_image" in /home/portalveganis489/public_html/wp-content/plugins/custom-about-author/display-about-author-block.php on line 134

Animal enroscou em uma rede de pesca

Um golfinho foi encontrado morto na tarde da última terça-feira (18) na praia das Toninhas, em Ubatuba, no litoral norte de São Paulo. Informações do G1.

golfinho-encontrado-morto-em-praia-de-ubatuba-sp-praia-toninhas-litoral-norte

Segundo o Instituto Argonauta, o animal se enroscou em uma rede de pesca e morreu afogado.

O animal foi encontrado na praia das Toninhas, uma praia conhecida por ser palco de acasalamento das toninhas (golfinhos) em determinada época do ano.

De acordo com o instituto, o animal encontrado é um macho adulto da espécie conhecida como boto cinza, que está em extinção, essa espécie de golfinho vive na costa desde Florianópolis até Nicarágua e é bastante comum nas praias da região.

Pelas marcas encontradas no corpo do animal, o instituto acredita que o golfinho tenha se enroscado acidentalmente em uma rede de pesca e se afogado. Segundo eles, um pescador encontrou o golfinho na manhã de terça e rasgou a barriga do animal na tentativa de não deixá-lo afundar.

Raia
Uma raia foi encontrada na tarde de segunda-feira (17) na praia do Perequê, em Ilhabela, no litoral norte de São Paulo. Segundo o instituto, o animal também estava preso em linhas de pesca e apesar de muito debilitado, ele responde bem ao tratamento e deve retornar à natureza em poucos dias.

Segundo o Instituto Argonauta, é comum que os animais se enrosquem em redes de pesca e o instituto está estudando alternativas para evitar esses incidentes.

Nota do Camaleão: É comum animais enroscarem em redes de pesca desde que elas existam no local e elas só existem por uma alta demanda de consumo de outros animais (peixes).

Os “acidentes” em alto mar não são eventos inesperados conforme se afirma, são acontecimentos previsíveis!

Ora, se lançamos uma rede ao mar buscando acertar determinado animal em meio a um ecossistema é óbvio que vamos atingir também outros animais, é o mesmo que o conceito de “bala perdida” a intenção era matar alguém, apenas não acertaram a vítima desejada e o mesmo vale para as mortes “acidentais” ocasionadas pela pesca (vulgo caça no mar), não acertaram o alvo desejado (peixes menores), mas sim o “indesejado”, os golfinhos (peixes maiores).

Se a pesca “artesanal” de pretensão de caça mais baixa mata diversos animais “acidentalmente” como golfinhos, tartarugas, pinguins, raias, entre outros, o que dirá da caça industrial em alto mar, fruto de abastecimento do famoso “Sushi” e outros animais no mundo todo, com suas gigantescas redes de arrasto?

Lançam redes enormes e arrastam por um certo trecho marítimo e que culminam na captura de diversos animais desejados e na morte “acidental” de diversos outros animais, que são separados daqueles que tinham o objetivo de serem caçados para serem devolvidos (feridos ou mortos) ao mar, mas também na morte de todo o ecossistema marinho, devastando até mesmo os recifes de corais, toda casa marinha se acaba!

A solução não está em buscar dar o tiro certeiro, que vez ou outra sempre irá respingar em outros animais, mas em não mais dar o tiro! Em alertar, ensinar, educar as pessoas de que elas não precisam consumir animais (marinhos ou terrestres) e que elas podem muito bem ter uma vida de respeito real aos animais e uma alimentação 100% vegetariana condizente com a urgência de por fim a morte dos animais e condizente com as necessidades nutricionais e palativas humanas. #SejaVegan!

Deixe uma resposta