Escrito em por
Ações, Notícias.

Hackerativistas divulgaram relatórios científicos que afirmam a ineficácia dos testes no site do próprio laboratório

No Reino Unido, o número anual de experiências com animais é agora quase o mesmo que era 20 anos atrás, depois de ter descido substancialmente entre 1988 e 1998, mas, em seguida, estabilizando-se e levantando-se para um número maior até chegar no patamar atual.

Houve um aumento de um milhão (mais de um terço) nos últimos 12 anos, somente em 2012 4 milhões de experimentos foram realizados e os animais mais utilizados nessas experiências impostas são os ratos, camundongos e outros roedores que representam ao todo cerca de 80% dos animais explorados em laboratórios no Reino Unido.

Recentemente, ativistas anônimos entraram no site de um laboratório que realiza testes em animais no país, o Laboratório Understanding Animal Research (UAR), que além do confinamento gerado para os animais, a exploração e substâncias químicas-tóxicas impostas no corpo desses animais, o laboratório ainda tem como “função social” provocar aceitação do uso de animais na pesquisa biomédica do Reino Unido.

Site-laboratório-testa-animais-hackeado-Canadá-hackerativistas-anonymous

A mão que faz carinho para a foto publicitária é a mesma que tortura durante a experiência!

No site existe uma seção de arquivos em PDF para que os usuários possam baixar, o grupo ativista não identificado substituiu os arquivos do laboratório farmacêutico por informações do Comitê dos Médicos por uma Medicina Responsável (PCRM), um comitê norte-americano que atua contra os testes em animais pela questão ética, pela segurança dos consumidores e contra o monopólio da indústria farmacêutica.

Leia abaixo a carta do grupo sobre o caso:

“Nós substituímos tudo isso de um grande laboratório farmacêutico e subimos arquivos da Physicians Committee for Responsible Medicine (PCRM), explicando as falhas científicas com testes em animais.

Se por acaso a Understanding Animal Research (UAR) tiver corrigido as várias falhas de segurança que encontramos no site, você poderá ver os PDFs que usamos, visitando nosso site e clicando em qualquer um dos links.

Nós fizemos algumas outras alterações ainda menos óbvias no site, além de substituir os PDFs, mas vai ser divertido deixar a UAR tentar encontrar tudo, sem que alguém lhe diga onde deve procurar.

Os detalhes do login no banco de dados MySQL locais estão incluídos aqui:

Banco de dados: animalextremism
Usuário: animalextremism
Senha: f1ght4rights
Obrigado a agência Codegent de Londres, na Inglaterra, por seu “fantástico” trabalho de codificação inseguro para sites de lobistas da vivissecção.”

* Codegente é uma agência digital de Londres que prestou serviços web para o laboratório e provavelmente quem era responsável pela segurança do mesmo no meio virtual.

Deixe uma resposta