Escrito em por
Otimismo.

Um casaco de peles pode ser responsável pela morte de até 200 chinchilas

Nesta terça-feira (28), o governo do Estado de São Paulo aprovou o projeto de lei 616/2011, de autoria do deputado estadual Feliciano Filho, que proíbe a criação, ou manutenção de qualquer animal doméstico, domesticado, nativo, exótico, silvestre ou ornamental com a finalidade de extração de peles.

criacao-de-animais-para-extracao-de-pele-esta-proibida-em-sao-paulo-itapecerica-da-serra-carlos-perez

A aprovação da lei aconteceu no último dia para veto ou aceitação do projeto e dias depois da libertação de mais de cem animais em uma fazenda de peles em Itapecerica da Serra, ocorrida no dia 19 de outubro.

A medida será publicada hoje (29) no Diário Oficial. Quem descumprir a lei estadual terá de pagar multa de 500 UFEPs por cada animal explorado (10 mil reais). Em caso de reincidência, o registro de Inscrição Estadual é cassado.

O Brasil é um dos maiores produtores de peles de animais e o segundo maior exportador de peles de chinchila do mundo, a Argentina é o primeiro. A lei aprovada acaba por colocar várias fazendas do Estado de São Paulo na ilegalidade, atingindo principalmente o comércio sangrento de Carlos Perez, dono da Master Chinchila e presidente da ACHILA (Associação Brasileira de Criadores de Chinchila Lanígera) que possui criação de animais no estado.

Confira o projeto de lei na íntegra.

Deixe uma resposta