Escrito em por
Fotografia & Propaganda, Veganismo, Vídeos.

Já imaginou se todo garçom falasse a realidade dos produtos de origem animal?

Todas Segundas e Quinta-Feiras, o famoso canal do youtube Porta dos Fundos publica novos vídeos, sempre pontualmente às 11 horas, o vídeo desta segunda, no entanto, chamou a atenção principalmente dos vegetarianos e veganos devido a sua temática.

porta-dos-fundos-cria-video-intitulado-garcom-vegetariano

O enredo acontece em um bar, onde o casal (representado por João Vicente de Castro e Julia Rabello) é atendido pelo garçom vegano (Gregório Duvivier), que não poupa comentários, ao descrever com detalhes a realidade por trás de cada produto de origem animal pedido pelo casal.

Veja o vídeo a seguir, opine abaixo e não deixe de ler nossos comentários:

Impressões
Todo vídeo tem seus pontos positivos e negativos e principalmente em um canal como o Porta dos Fundos que trabalha com humor “proibido” e lida constantemente com situações inusitadas e cotidianas isso não poderia ser diferente.

Um dos aspectos mais positivos para os direitos animais em relação a esse vídeo é a ideia de que todo produto de origem animal possui exploração e isso é muito importante, pois o movimento de direitos animais luta exatamente para mostrar isso a sociedade, visando que ela deixe de usar os animais como propriedade, como objeto, para quaisquer fins, e a produção do Porta dos Fundos pegou essa essência com propriedade ao comentar sobre a exploração do leite, e infelizmente, a sociedade acredita que exista exploração e sofrimento apenas nas carnes dos animais (boi, aves, porcos e outros) e não nos derivados, tanto é que não é nem um pouco raro ouvirmos diariamente comentários como: “mas, nem leite? nem ovo?, como se não existisse crueldade nos derivados (que são muito piores).

Outro aspecto positivo, é a ironia ao atum não ser considerado um animal para muitas pessoas, essa é uma pérola que todo vegetariano já ouviu, muitas pessoas desconhecem o fato de que animais marinhos como os peixes sintam dor e essa pérola foi muito bem reforçada no vídeo do Porta dos Fundos.

Com exceção desse super aspecto positivo em relação a existência de exploração em 100% dos produtos, que esperamos que mude a falsa ideia de que os derivados estão isentos de exploração, um problema muito negativo ao meu ver é que o vídeo se baseou em um estereótipo um tanto quanto real (em certos casos) de vegetarianos chatos, que muitas vezes chegam a incomodar até mesmo a própria “comunidade” vegetariana devido ao afastamento que geram nas pessoas quando abrem a boca, o problema não está nessas pessoas quererem divulgar o vegetarianismo e mostrar a real situação dos animais “de consumo”, mas sim pela forma que elas abordam e falam com o público, e que muitas vezes, cria-se uma ideia de julgamento e a pessoa ao invés de se conscientizar sobre direitos animais acaba se afastando, o que acaba contribuindo para o estereótipo social de vegetariano “eco-chato”.

Eis a importância, de estudar muito e se informar sobre a teoria de direitos animais, para mudarmos esse estereótipo que existe de vegetariano “mala”, e para que seja possível conversar com as pessoas e conscientizar, causando um incomodo que é necessário para provocar uma reflexão e mudança, mas sem ofender ou ser insuportável.

Mas, ainda assim, não podemos deixar de dizer duas coisas uma é que alguns atores do Porta dos Fundos fizeram campanhas publicitárias para indústrias de exploração do leite por esses dias, como a Batavo e a Danone. E o outro ponto que não poderíamos deixar de dizer é que se todo garçom agisse dessa forma, teríamos uma queda no consumo de produtos de origem animal por aí, e como diz o famoso músico Paul McCartney, se as paredes dos matadouros fossem de vidro, todos seriam vegetarianos. Esperamos que sim.

* A impressão de vegetariano chato pode ser muito bem reforçada ao reparar na cara do rapaz ao ouvir os comentários do garçom vegetariano, principalmente nos primeiros comentários sobre “bife” e “frango”.

estereotipo-vegetariano-ecochato-mala-salada-alface

Um outro estereótipo comum, sempre reforçado em todo lugar onde se toca no assunto vegetarianismo ou veganismo, e neste vídeo do Porta dos Fundos não foi diferente, é a falsa ideia de que vegetarianos ou veganos comem apenas salada, principalmente, em nossa cultura (publicitária) brasileira de churrasco, portanto, soa como se fosse uma aberração ou como se não existissem opções vegetais nutritivas e saborosas, e aos montes por aí, ainda mais em um país tropical como o nosso, que tem à disposição uma imensidão de vegetais.

Essa ideia errada de que vegetariano come apenas (ou somente) folha é totalmente inapropriada, muitos vegetarianos nem comem salada, nem gostam de salada, e são vegetarianos ou veganos do mesmo jeito, e me incluo nessa lista.

Mas, afinal vegetariano come o quê? Como nos dias de hoje, uma imagem vale muito mais que mil palavras, decidi responder a essa indagação criando uma seleção de pratos coloridos e saborosos, todos veganos, além disso receitas vegetarianas podem ser vistas em nossa categoria de receitas.

vegetariano-come-o-que-veganismo-camaleão

 

Quanto a realidade da indústria de exploração animal, os vídeos abaixo mostram essa realidade ao exibirem uma investigação feita em fazendas do Burger King e o Farm To Fridge (Da Fazenda à Geladeira), que também é um material fruto de diversas investigações feitas em fazendas. O vídeo “A Carne É Fraca” também é um conteúdo importante para quem quiser saber mais sobre a realidade sofrida dos animais na Pecuária.

Fundador do Portal Veganismo e do Grupo CAMALEÃO.
Comunicólogo, autodidata em História, Filosofia e conhecimentos gerais. Ativista abolicionista pelos Direitos Animais, membro da Sociedade Vegana.

Facebook   

Deixe uma resposta