Escrito em por
Veganismo.

Assine para Harald abolir a exploração desses animais!

A empresa Harald Chocolates publicou no Youtube um vídeo institucional (que já foi apagado) mostrando o processo de colheita do cacau e vários animais escravizados transportando essas amêndoas para fazenda.

Para surpresa da Harald, o vídeo não foi bem recebido pelo público, principalmente por consumidores veganos e ativistas pelos direitos animais que não gostaram nem um pouco das cenas de mulas e burros explorados sendo forçados a subir morro carregando peso.

Um abaixo-assinado na internet já conta com mais de 2 mil assinaturas em poucas horas e pede pelo fim do uso de animais.

A polêmica se dá tanto pela utilização desses animais como se fossem uma máquina (veículo) e também porque o “Chocolate Meio Amargo Melken (Harald)” tem valor acessível e é um dos chocolates mais utilizados por consumidores e lojistas veganos por ser um produto vegetariano (não conter leite da vaca na composição).

Em diálogo com o Portal Veganismo a empresa declarou o seguinte:
“Estamos com vocês nessa batalha para preservação do meio ambiente. Nossa luta vai desde a escolha dos parceiros dos quais vamos comprar o cacau até todos os cuidados na fabricação. Esse filme mostra a fazenda João Tavares, na Bahia, um dos nossos fornecedores. Nela, o cultivo do cacau é feito de forma sustentável e integrada à floresta, o que vem contribuindo com a retomada do crescimento da Mata Atlântica na região. O cacau plantado no meio da mata cresce à sombra de outras árvores e adquire sabores típicos do bioma em que o fruto se desenvolveu. É uma região de difícil acesso, na qual colheitadeiras e tratores causariam a destruição da flora e da fauna local. Assim, toda a colheita é feita manualmente, respeitando o meio ambiente e o bem-estar de todos. Permanecemos à disposição para quaisquer outras dúvidas”.

Em seguida, informamos a empresa Harald Chocolates que a essência do Veganismo está na preocupação com os Direitos Animais. Pessoas veganas não concordam com o uso deles para qualquer finalidade que seja. Podemos compreender o cenário apresentado, mas isso não satisfaz as considerações animalistas do consumidor vegano. É importante também não confundir animalistas com ambientalistas. Essa notícia não afeta apenas o consumidor vegano, mas também a logística de lojistas, confeiteiros, padarias, sorveterias, etc, que utilizam o produto para atender o público vegano”.

Levantamos outros questionamentos, mas que ainda não foram respondidos pela Harald até o fechamento dessa reportagem.

1) O cacau da Harald é oriundo de quantas fazendas? Todas são fornecedoras ou há fazendas próprias?
2) Quais delas utilizam trabalho forçado de cavalos, mulas e burros?
3) Veganos são pessoas que são favoráveis aos direitos animais; portanto, não concordam com o uso de animais independentemente se houve muita ou pouca crueldade. Quais medidas a Harald pretende tomar em curto e médio prazo para ABOLIR esse tipo de prática?

Veja o vídeo publicado pela empresa (que foi removido do Youtube após comentários negativos):

► Assine a petição pedindo pela abolição dessa prática da Harald!

Atualização (09/08 – 13h00): Um representante da Harald nos contatou por telefone, ouviu nossos questionamentos e sugestões; informaram que estão à disposição para ouvir o consumidor e que entre hoje e amanhã a Harald publicará um posicionamento.

 

Nota do Portal Veganismo: Animais não são recursos, não são escravos. A Harald deve ouvir seus consumidores e tomar um posicionamento para eliminar essa atividade exploratória da sua cadeia de produção de chocolates.

Esperamos também que as questões trabalhistas legais estejam corretas, pois o cenário exibe trabalhadores em situações também questionáveis.

Share on Facebook454Tweet about this on TwitterShare on Tumblr0Share on Google+0Email this to someonePrint this page

Deixe uma resposta