Escrito em por
Ações, Otimismo.

Turquia também proíbe a venda de cosméticos testados

Turquia se juntou às fileiras da União Europeia, Israel, a Noruega e a Índia através da introdução de uma proibição da venda de cosméticos que tenham sido testados em animais. 

Um artigo foi adicionado criando um novo regulamento sobre a indústria que proíbe testes em animais para produtos cosméticos.
turquia-proibe-testes-em-animais-na-industria-cosmetica-chile-brasil-vivissecção-ricardo-izar-concea-cruelty-free

O regulamento também vai obrigar os fabricantes a marcar os seus produtos com rótulos específicos detalhando os ingredientes contidos em qualquer produto vendido no país. As rotulagens turcas serão exigidas em todos os produtos, independentemente de a embalagem original já listar os ingredientes, de acordo com o regulamento.

No Chile, um movimento pelo fim da exploração animal relacionada aos testes, é liderado pela ONG “No Más Vivisección“, que criou um abaixo-assinado exigindo do governo a proibição total de cosméticos testados em animais e também a proibição da venda de cosméticos que tenham sido testados em animais, mesmo que em outros países.

Enquanto isso no Brasil, o projeto de lei complementar 70/2014 do Deputado Federal Ricardo Izar, que conta com apoio do CONCEA (Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal) e a ONG neo-bem-estarista Cruelty Free Internacional, permitirá que os testes em animais sejam perpetuados, a venda continue normalmente e ainda ocasionará o enfraquecimento da lei federal de crimes ambientais e a derrubada da lei que já proíbe os testes em animais no estado de São Paulo.

Você pode ajudar a frear esse retrocesso, informe-se e envie mensagens ao Senador Cristovam Buarque pedindo para não permitir a aprovação desse projeto.

Informações (adaptadas): Global Cosmetics News.

Deixe uma resposta